Contos de Virgens: Ritinha do cuzinho virgem

Como eu comi o cuzinho virgem da ritinha. Vou contar o primeiro de muitos contos, vamos lá… Sento-me no sofá, mostro-lhe a vara endurecida de tesão, acaricio-a lentamente, Ritinha liga a música começa a dançar, aproxima-se de mim, passa a mão pelo corpo, provoca-me com um sorriso malicioso, passa a língua nos lábios, tira a calcinha devagar, mostra bucetinha pequena.

-Queres chupar?

Quero muito, respondo e continuo a acariciar a vara erecta com os olhos fixos na bucetinha que vai ser minha.

É uma deliciosa sensação, quando envolve com a boquinha a cabeça da vara e chupa a cabeça lentamente. Pressente que vou gozar e pára de chupar, levanta-se e avança para mim, como um animal faminto sugo aqueles dois lindos peitinhos ainda em formação. Salta para cima do sofá e abre os lábios carnudos da coninha, chupa… vá chupa!

A rosadinha com poucos pelos, deixa-me louco de tesão, sugo, meto a língua na fendinha, geme de prazer, empurra a minha cabeça de encontro à coninha, chupa… safado… chupa a minha coninha. Deixa-me saciar a minha tesão e fome de prazer na coninha rosada, geme de prazer, afasta a deliciosa coninha da minha boca, respira profundamente! Calma safado!

Bamboleia-se, vira o rabinho, nádegas pequenas e redondas, perfeitas, abre-as e mostra o anel, acastanhado, vá lambe-me o cuzinho, seguro-a pelas ancas e sofregamente lambuzo-lhe o cuzinho! Lambes bem safado, doido de tesão puxo-a de encontro à minha vara carente de prazer. Salta, vira-se para mim os olhos reflectem desejo e tesão.

-Safado… queres foder o meu cuzinho?

-Quero!Por favor! Deixa-me meter…

Encosta o rabinho e roça na vara dorida de prazer, custa-me parar, desejo gozar naquelas nádegas quentes e apertadas. Força rebolando para acomodar a vara e quando entra a cabeça,solta um gritinho de dor, continua forçando, consegue agasalhar mais da metade no rabinho. É uma visão que jamais esquecerei, Ritinha coma vara, enterrando no cuzinho.

-Ai…aiii! Vá safado, fode agora a tua putinha. Começo então um vai e vem lento geme baixinho e afunda ainda mais a bundinha,grita de prazer! Mete… Mais! Fode safado … fode meu cu. Aos poucos começo a forçar mais as estocadas, gememos feito loucos. Ritinha inclina-se, oferece-me o rabinho, mete… fode..safado… fode-me, geme de prazer e eu sem dó nem piedade enfio toda a vara naquele cuzinho quente e apertado.

Os seus gritos de prazer acompanhados de palavras de sacanagem, enlouquecem-me, penetro-a com toda a minha força socando o rabinho ininterruptamente até que com um urro selvagem, esporro em golfadas no interior do seu cuzinho, ficando colado ao seu corpo que estremece de prazer e gozo.

Puxo-a suavemente para mim ao mesmo tempo que retiro a vara demolidora, do cuzinho corre esporra que cai sobre mim, o corpinho suado e quente cola-se ao meu, ficamos em silêncio por breves instantes recobrando do esforço, depois e gosta de ouvir digo-lhe: putinha foi bom? Suspira de prazer e responde-me com um sussurro : adorei… sabes que gosto de dar o cuzinho.

Deixa-se ficar encostada a mim, cruzo as mãos por de cima da sua cintura e acaricio-lhe a coninha, estremece e geme, o som dos gemidos no meu ouvido, dão-me uma forte sensação de prazer, a luxuria de ter um corpo juvenil ao meu dispor, dá-me um tesão louco, com a outra mão aperto-lhe um mamilo, dá um gritinho de dor! Aiiii! Bruto… Doeu! Ri de seguida, gosta destes jogos de prazer.

Carrego-a no colo para o meu quarto, é na minha cama que a ninfetinha gosta de se entregar a todos os devaneios. Deito-a na cama, coloco-me por cima dela, beijo-lhe os olhos, nariz boca, desço pelo pescoço, sugo os biquinhos dos peitinhos, desço até ao umbigo e brinco coma língua naquele buraquinho redondo, Ritinha contorce-se de prazer e tesão,solta leves gemidos de prazer, desço até a coninha de lábios grossos e rosados, beijo-a.

Lambe gatinho..lambe a minha coninha, pede com voz fina e suplicante. Lambo e introduzo a língua entre os lábios rosadinhos, atinjo o grelinho, aiii..bomm.. levanta os joelhos abrindo as pernas, aí.. chupa… segura a minha cabeça de encontro à sua grutinha molhada, brinco com o grelinho, meto a língua na fendinha, ai! Safado! Fode-me com a língua.

cuzinho virgem da ritinha

Estremece de prazer, quando pressiono na entrada da coninha,sugo o mel que brota da sua peqena fonte de prazer, geme.. a respiração ofegante acompanhada de deliciosos gemidos de prazer, indica-me a sua total entrega, movimento a lingua em pequenos vai e vem, esfrega a coninha de encontro à minha boca, as mãos seguram fortemente a minha cabeça, aii!

Safado! Chupa! Chupa a tua putinha. Issoooo. Que tesãooo! Aiii! Com espasmos de prazer atinge o orgasmo de forma violenta, deixa cair as pernas sobre a cama, continua a segurar a minha cabeça, aiiii! Tão bommmm! Lambo agora suavemente,solta-me a cabeça, permanece de olhos fechados, boquinha entre-aberta engole golfadas de ar acompanhadas de gemidos. Levanto-me e subo até à sua boquinha, beijo-a apaixonadamente