O corno saiu e o porteiro foi comer sua mulher

Me chamo Beth, tenho 30 anos, casada com o Roberto a 5 e tenho um tesão enorme pelo porteiro do meu prédio, um cara bem mais novo chamado Adriano. Vou contar para vocês como me tornei a putinha do porteiro e fiquei gamada na pegada gostosa dele. Eu sou uma mulher feliz, sempre fui muito sexual, meu marido trabalha muito, infelizmente a vida sexual mesmo sendo boa, não é com a frequência que eu queria, eu entendo que meu marido chega cansado, mas sempre fui viciada em sexo.

O Adriano, porteiro, começou a trabalhar aqui no prédio tem 1 ano. Logo de cara fiquei doida por ele, o homem é lindo, moreno, parrudinho, deve ter uns 22 anos, olhos verdes, peludinho e um sorriso de homem sacana que me deixa louca, eu adoro homem com cara de safado. Todo dia eu ia para a academia de manhã e quando voltava com minhas calças apertadinhas, ele me secava, só faltava me comer com os olhos.

Eu ficava imaginando como esse safado deveria ser na cama, se ele tem pauzão, nossa, eram pensamentos safados que me deixavam louca, eu as vezes transava com meu marido pensando no Adriano, em nossas conversas bestas mas que ele sempre me olhava com um jeito safado me despindo com o olhar. Eu tava muito atraída pelo meu porteiro, e demorei pra assumir isso pra mim mesma, morrendo de medo de enlouquecer de tanto tesão.

Um dia sai da academia, que é perto aqui do prédio e passei no mercado para comprar umas frutas, encontrei o seu Manoel, um porteiro coroa no lugar do Adriano, tomei um susto, fiquei sem entender porque o Adriano não tava ali aquele dia, mas logo quando fui entrar no elevador, encontrei ele lá dizendo que foi ajudar a vizinha do quinto andar com umas malas e se ofereceu pra me ajudar com minhas sacolas.

Tudo tava super leve mas mesmo assim aceitei que ele me ajudasse só pra passar mais tempo com esse homem gostoso na minha presença. No caminho a gente foi conversando e ele perguntou do meu marido, comentou que ele viajava muito e que eu devia ficar muito sozinha em casa. Gostei da cara de pau dele de se meter na minha vida, foi um gancho pra eu continuar a conversa.

-Pois é Adriano, o Beto viaja muito e passa muito tempo no trabalho, eu fico no maior tédio, se não fosse a academia eu ia ficar em casa de bobeira.

-Pelo menos a academia faz bem pra senhora, tá com tudo em cima, com todo respeito dona Beth.

-Vou ficar ofendida se você ficar me chamando de dona e de senhora, Adriano, pode me chamar de você, já tem meses que a gente se conhece e eu acho que somos amigos né?

-Ahh, desculpa, vou te chamar de Beth só, não quis ofender, você tá muito linda, melhor que muita garota que já peguei.

Eu agradeci, sorri e fomos para meu apartamento, ele entregou as sacolas me olhando o tempo inteiro com o olhar safado que eu conhecia tão bem já. Eu perguntei se ele queria um suco, pra minha surpresa ele aceitou, pedi pra ele sentar no sofá e fui buscar um suco pra ele. A gente ficou conversando, ele disse que o suco era tão maravilhoso quanto eu, me arrepiei com essa quase direta pra mim mas tentei não demonstrar, eu não queria que ele pensasse merda a meu respeito.

Depois do suco ele agradeceu, disse que tinha que ir mas deixei o convite pra ele vir aqui tomar um suquinho, um lanche, sempre que quisesse. Nesse dia não aguentei, comecei a tocar uma siririca assim que ele saiu, sentei no sofá, abaixei minha calça leggin e comecei a colocar os dedos na minha bucetinha. Eu já tava super molhada, que delícia, comecei a enfiar os dedos, depois toquei no meu grelinho fazendo movimentos giratórios com as pernas bem abertas.

Quanto mais eu dedilhava minha buceta, mais molhada eu ficava. Na minha cabeça só vinha a imagem do meu porteiro moreno gostoso com o pau pra fora colocando na minha boca pra eu chupar bem gostoso. Era um desejo louco de mamar na pica dele que eu nem sabia como era, mas já vi marcada na calça e tinha quse certeza que o pau era grande.

Aumentei o ritmo socando os dedos com força lá dentro, meu grelinho bem duro, senti uma corrente percorrer todo meu corpo, me arrepiei, senti aquela sensação gostosa de que o gozo tava se aproximando e não demorou, gozei gostoso pra caralho, fiquei imaginando se na imaginação era tão bom, imagina eu dando pra ele.

Comecei a usar umas roupas mais provocantes quando meu marido não tava, tudo pra passar pela portaria. O Adriano um dia me cumprimentou com cara de safado, acho que ele não aguentava mais me ver passando de shortinho na volta da academia, o homem me olhava igual tarado, parecia um bicho no cio. Nesse dia ele chegou pra mim e disse:

-Hoje era um bom dia para um suco viu Beth? tá um baita calor.

-Tô sempre a disposição Adriano, que horas você sai daí?

-Daqui a uma hora o seu Manoel vem ficar no meu lugar e tô livre, amanha é meu dia de folga.

-Que pena que não vou te ver aqui amanhã, mas quando sair passa lá em casa pra gente fazer um lamche e bater papo.

-Pode deixar que eu vou lá bater na sua porta.

Subi, fui tomar um banho gostoso pra esperar ele, minha buceta já tava toda lisinha, vai que rolaria alguma coisa né? Me arrumei, fiquei bem cheirosa, passei hidratante, coloquei uma lingerie preta com uma calcinha fio dental e sutiã meia taça e um vestido soltinho, daqueles com tecido levinho que deixa a imaginação correr solta.

Passou mais ou menos 1 hora e meia, olha ele batendo na minha porta com um sorriso sacana dizendo que eu tava linda e cheirosa. Chamei ele para entrar e ir na cozinha comigo pra eu preparar um lanche. Ele sentou na mesa do balcão da cozinha e a gente começou a conversar. Ele não tirava os olhos dos meus peitos, da minha bunda, fiz questão de me abaixar para abrir o armário e deixar ele ter a visão do meu rabo com a calcinha enfiada no cu.

Quando levantei vi ele segurando no pau, aquele gesto de homem que tá sem aguentar de tanto tesão. Dei o lanche pra ele, perguntei se tava gostoso. Ele deu uma resposta bem cara de pau que me fez ficar toda arrepiada da cabeça aos pés quando ouvi.

-Tá uma delícia, mas sua bunda nessa calcinha tá melhor ainda!

-Adriano, que isso? -disse me fazendo de difícil.

-Desculpa Beth, me perdoe, acho que entendi tudo errado, por favor me desculpa pelo que eu disse, vou embora!

-Não vai não, já que você achou minha bunda gostosa, porque você não vem aqui passar a mão nela pra ver como é muito melhor?

-Caralho!

Ele se levantou rápido, veio até mim, virei de costas pra ele, soltei um gemido e dei uma empinadinha quando senti suas mãos na minha bunda grande. Comecei a mexer, senti ele levantar meu vestido, fiquei toda molhadinha, minha calcinha já tava toda ensopada de tanto tesão por ele.

-Caralho, que bundinha gostosa hein, e tá toda molhadinha já. Meu pau tá explodindo aqui!

-Huuuuummm, que gostoso, sua mão na minha bunda é uma delícia.

Ele me virou com força, me pegou no colo e me botou em cima do balcão, beijou minha boca, um beijo molhado e gostoso, foi descendo pelo meu pescoço, ombros e abaixou meu vestido pra chupar meus peitos. Os biquinhos estavam durinhos de tesão, ele lambeu, sugou, chupou muito gostoso, me deixou arrepiada e cada vez mais excitada, como se fosse possível né? eu já tava com a buceta latejando e ardendo de tesão, sentindo aquela dorzinha gostosa.

-Ai Adriano, quero chupar o seu pau, bota na minha boca, deixa eu ver ele, vai!

Ele se afastou, botou o pau pra fora e eu fiquei impressionada, era maior do que eu imaginei, uma delícia de pica. Comecei a chupar gostoso, o pau grosso dele mal cabia na minha boca mas eu não queria parar de mamar, que tesão da porra, engoli tudo, ele fazia questão de socar cada vez mais fundo, ele queria me maltratar, me ver engasgando com o pau dele, mas eu não parava, enfiava tudo até o talo.

Continuei chupando, babando naquela vara gostosa, ele tava doido, suspirando, gemendo pra valer, foi uma delícia, ele interrompeu o boquete, me colocou mais abertinha, se abaixou, deu uma chupada na minha buceta bem molhada e ficou doidinho.

-Seu gosto é uma delícia!

-Então me chupa gostoso vai!

Ele chupou bem gostoso, nunca recebi um oral tão bom como esse. Ele me viu contorcendo toda, gemendo na boca dele, não me segurei muito, gozei muito rápido. Foi a gozada mais rápida que já dei com alguém me chupando. Depois que me fez gozar a gente se beijou gostoso, ele arreganhou mais minhas pernas, se chegou no meio delas encaixando seu pau grosso e foi enfiando aos poucos até entrar tudinho.

Soltei um gemido alto, tive que abafar com as mãos pra os vizinhos não ouvirem. Ele começou a socar o pau segurando minhas pernas bem abertas, fiquei louca, gemi, arranhei ele todinho, mordi e falei muita sacanagem enquanto ele me fodia gostoso.

-Que delícia de buceta, puta que pariu! apertadinha, aaaaaahh, que gostoso!

Eu só conseguia gemer e pedir mais, ele socava forte, seu saco batia em mim com força, o homem é um furacão na hora de fuder, bombava forte sem parar, parecia uma máquina, não parava de me arrombar, minha buceta ficou toda assada de tanta pica mas eu não queria parar, queria gozar de novo e fazer ele gozar bem gostoso também.

-Caralho, não vou aguentar, sua buceta é muito gostosa, cacete, vou gozar!

-Goza vai, goza gostoso comigo, eu tô quase gozando de novo também.

Quando disse isso, ele começou a me masturbar, estimulou meu grelinho até que não aguentei e acabei gozando quase junto com ele. Soltamos um gemido gostoso, suados e cheios de tesão, fiquei louca, trocamos beijos gostosos, depois ele teve que ir embora e fui tomar um banho gostoso, meu marido chegaria de viagem justo nesse dia, não queria que ele me pegasse. Foi gostoso demais, no chuveiro pensei o tempo todo na trepada que a gente deu. A melhor coisa é ter um porteiro gostoso pra dar um trato numa mulher fogosa!

Categorias:

Contos de Traição